20 de jul de 2014

"Anarquismo e Ecologia"

A Organização Anarquista Terra e Liberdade (OATL) é, atualmente, o grupo organizado de anarquistas mais ativo no Brasil.
A OATL faz parte da Frente Independente Popular do Rio de Janeiro (FIP/RJ), e vem participando de atividades de Ação Direta em movimentos como o "Ocupa Câmara" e o "Não Vai Ter Copa!".
Alguns dos ativistas da FIP que estão presos no Rio de janeiro são da OATL.
Para quem entende e defende a necessidade de se articular e ligar Anarquismo & Ecocentrismo, é importante saber o que outros anarquistas estão pensando e falando a respeito de questões ambientais e ecológicas.
Por isso, estamos divulgando o link da versão virtual do órgão de divulgação da OATL, o "Jornal Terra e Liberdade", em sua edição de abril de 2013 (Nº 3), que traz o artigo "Anarquismo e Ecologia":

Jornal Terra e Liberdade Nº 3

9 de jul de 2014

E fez-se de conta que teve Copa...

Teve uma vez, agora, uma Copa pra brasileiros e turistas ricos verem... e que, quando foi jogada, acabou bem feinha.

Mas não chegou a ter Copa pra o povão.

E como o povão não teve a Copa prometida, reagiu.

Temos notícias que desde a noite de 08/07/2014, depois do jogo do Brasil, por todo o país e especialmente nas capitais, ocorreram confusões, tumultos e confrontos entre populares e a polícia.

Em Recife, torcedores brasileiros confrontaram a polícia ainda durante o jogo do Brasil.

No Rio, houve “arrastões” e depredação de ônibus.

Em BH, houve conflitos entre a polícia e torcedores (que chegaram a queimar bandeiras do Brasil...).

Em Curitiba, muitos ônibus foram depredados e alguns queimados.

Em São Paulo, dezenas de ônibus foram depredados.

Houve também muitas prisões de populares, por todo o país.

Teve uma Copa mesmo, então? Se teve Copa, foi pra quem mesmo?

Nosso povão reagiu, e está respondendo essas perguntas do jeito que sabe...
Há outras perguntas que mereciam ter sido feitas, antes e durante essa Copa de faz-de-conta, perguntas sobre o país e o mundo, a natureza e o homem (que tenta sair da natureza, destruindo-a), sobre os governos, as grandes empresas, os lucros políticos e financeiros, sobre a liberdade humana, a anarquia, a revolução.
Temos que aprender, com o povão, a reagir.
Temos também de insistir até que o povão ouça essas perguntas, e passe enfim a respondê-las.
A Copa (que se-teve-não-teve) nem começou bem, e já acabou.
O mundo e sua natureza, o homem e seu país, a gente ainda continua aqui e sempre, e a gente ainda tem muito o que fazer...