29 de mai de 2014

Índios, Sem-Teto e Populares Enfrentam a Tropa de Choque da PM no DF!

Cerca de três mil pessoas, principalmente ativistas Anti-Copa, do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e indígenas (que pela manhã haviam feito um protesto pela demarcação de suas terras em frente ao Congresso Nacional), cercaram o estádio de futebol “Mané Garrincha”, no Distrito Federal, em uma manifestação contra a Copa do Mundo. Os grupos se encontraram no terminal rodoviário central de Brasília na tarde de anteontem (27 de maio), de onde seguiram até o estádio bloqueando a avenida que dá acesso ao sentido Palácio do Buriti (sede do Governo do DF). A Tropa de Choque da Polícia Militar do DF bloqueou o acesso dos manifestantes ao estádio. Os indígenas avançaram sobre o bloqueio e a PM usou bombas de gás para atacar os manifestantes. Os manifestantes revidaram com pedras e paus. Os indígenas usaram suas armas tradicionais (um policial da cavalaria foi atingido na perna por uma flecha). A PM conseguiu deter apenas dois manifestantes.
Veja fotos do confronto (tomadas da internet):


























28 de mai de 2014

"Desobediência Civil: Fundamentos da Ação Direta"

Do blog O Taborita:
"Do ponto de vista daquele que se julga capaz de discernir uma rota constante para o progresso humano, e segue por ela, e desenha tal rota no mapa de sua mente, certamente resolverá indicá-la aos outros; fazê-los ver as coisas como ele vê; convencê-los com argumentos claros e simples que expressem seus pensamentos - diante disso é um sinal de pesar e de confusão de espírito o fato da frase 'Ação Direta' adquirir de repente na mente das pessoas em geral um significado circunscrito, que não tem, e que certamente nunca teve, nem mesmo no pensamento de seus adeptos."
É assim que começa o artigo (o post todo está em...)...



23 de mai de 2014

Belo Monte: o conflito continua

Mesmo a grande mídia tem coberto o conflito em Belo Monte...


Há notícias de que no dia 12 de maio de 2014, índios e ribeirinhos atacaram o canteiro de obras da usina hidrelétrica Belo Monte, na cidade de Altamira (PA). Os portões e máquinas do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM) foram depredados. Um ônibus desse Consórcio foi incendiado. Homens da Força Nacional tentaram impedir o ataque.


Depois disso, em 22 de maio, os índios e ribeirinhos ocuparam e bloquearam a rodovia Transamazônica, no acesso ao canteiro de obras da usina hidrelétrica Belo Monte. No dia 23 de maio, outro ônibus do CCBM foi incendiado.


Os ataques têm o objetivo de exigir que a Norte Energia, consórcio responsável pela construção e operação da usina, assine um termo de compromisso para implementar o chamado “Projeto Básico Ambiental - Componente Indígena (PBA-CI)”.


O plano estabelece as ações que o consórcio deve garantir aos índios durante todo prazo de concessão da usina, que é de 35 anos a partir de 2010, e deveria ter sido assinado até um mês depois de o consórcio obter a licença de instalação da hidrelétrica, a qual foi emitida em junho de 2011.

18 de mai de 2014

"Entrevista com John Zerzan"

John Zerzan pode bem ser considerado o autor mais radical no planeta. È um tanto irônico que a publicação do Unabomber, Sociedade Industrial e o suas Conseqüências*, tenha trazido os pontos de vista de Zerzan à atenção nacional ? irônico porque seus escritos são muito mais radicais do que os do plantador de bombas que pensavam o ter influenciado. Para Zerzan a queda dos céus da humanidade não teve início com o industrialismo e nem mesmo com a agricultura, mas sim com a aceitação da cultura simbólica, da linguagem, da arte, e o número. A cultura, ao invés de ser vista como nossa maior emancipadora, é uma mediação a qual nos distância de uma aceitação sensual da realidade, de até aonde chega nossa capacidade de compreendermos a nós mesmos dentro do momento. A linguagem é comunicação tornando-se presa ao assunto, arte é um preenchimento de uma realidade infinitamente mais rica, número é a prática de uma semelhança ilusória que consome nosso mundo de interesse.
Em seu livro de ensaios reunidos, Elementos de Rejeição e Futuro Primitivo (Elements of Refusal and Future Primitive), mapeia uma crítica primitivista que ele tem buscado no meio social anarquista nas últimas duas décadas. Sua fama recente, tendo início com um artigo publicado no New York Times, e prolongada com entrevistas de rádio e televisão, focou-se imensamente em seu status de ser um dos poucos críticos da tecnologia que não acusou o Unabomber desde o início. Com o advento de um mundo baseado na biotecnologia e na engenharia genética, pode-se colocar Zerzan na tradição dos sábios Taoístas, de Diógenes, e Rousseau como o último dos grandes expoentes do homem selvagem não limitado pelas regras dominantes ? ou talvez ele seja o primeiro em uma nova tradição da qual o impacto ainda há que ser visto.
* O manifesto do Unabomber veio a público em 19 de setembro de 1995, publicado no jornal Washington Post. Uma crítica a sociedade tecnológica e capitalista, supostamente escrita por Ted. Kaczynski que antes de ser preso, em 1996, enviou - ao longo de 18 anos - 16 bombas pelo correio americano, que deixaram três mortos e 23 feridos.
... Leia a "Entrevista com John Zerzan" publicada no CMI.

1 de mai de 2014

Nua pela Natureza

A ativista brasileira do Greenpeace, Ana Paula Maciel, que ficou presa na Rússia durante 2 meses por protestar contra a exploração de petróleo no Ártico, fez fotos eróticas para a revista PLAYBOY.




A capa da revista anuncia a nudez da ex-prisioneira com a "manchete":
Por um Mundo Melhor ... Nossa Ativista na Natureza Selvagem.









"Fiquei muito tranquila, já que essa questão da nudez é socialmente aceita na nossa cultura. É uma oportunidade de as pessoas conhecerem meu lado feminino, o que não apaga a história de ativismo ambiental", disse ela, em entrevista.








Uma parte do cachê foi reservada para doações para a manutenção de santuários para animais. Só podemos agradecer...